Edema de Úbere, afeta comumente a produção leiteira

Por Amanda Jaculi - Médica Veterinária e Analista de Marketing da UCBVET Saúde Animal

 

O Brasil é um dos maiores países produtores de leite do mundo. Com um mercado tão amplo e competitivo, é indispensável que as propriedades possuam rebanhos com altos índices de produtividade e qualidade. Conforme ocorre aumento da produção num curto espaço de tempo, podem acontecer alguns distúrbios fisiológicos e metabólicos como o Edema de Mama ou Edema de Úbere, que pode causar danos à saúde do animal e prejuízos econômicos aos criadores.

Para muitas pessoas leigas, o aumento do úbere representa apenas grande quantidade de leite e uma ótima produtividade, mas é importante saber diferenciar um úbere saudável de um doente. O edema ou inchaço é caracterizado por um acúmulo excessivo de fluído (líquido) nos espaços teciduais intercelulares e pode se estender, em casos mais graves, para a vulva, abdômen e membros posteriores.

Vacas de alta produtividade são mais susceptíveis, pois tem maior fluxo sanguíneo nos vasos que irrigam o úbere, esse aumento promove uma maior pressão contra as paredes dos vasos, aumentando sua permeabilidade e causando a formação do edema. 

As causas primárias ainda não foram bem elucidadas na literatura, porém sabe-se que existe um fator hereditário envolvido e o problema é observado com incidência maior em novilhas de primeira cria. O problema também é relacionado à gestação e a dietas muito energéticas e ricas em sódio e potássio.

Prevenção:

As medidas preventivas mais recomendadas são relacionadas ao manejo, redução na quantidade de grãos fornecidos no pré-parto das novilhas e vacas de alta produção, exercitar os bovinos com caminhadas antes e depois do parto, em horários de baixas temperaturas, e praticar ordenhas frequentes e controladas no pós-parto. Lembrando que essas boas práticas podem evitar não só o edema de úbere relacionado à alta produtividade, mas também às infecções causadoras de mastite.

Tratamento:

O protocolo de tratamento utilizado é a associação injetável de corticoides, diuréticos e de boas práticas como duchas, massagens, algumas vezes provocando choque térmico local com calor e frio e a melhora em todo manejo. A intervenção cirúrgica será de acordo com a gravidade do problema e a critério do médico veterinário.

Soluções UCBVET:

Pensando nas afecções que acometem a produção leiteira, a UCBVET desenvolveu um protocolo de tratamento que vem sendo muito utilizado nos casos de edema de úbere, a associação de Cortvet e Apyron.

Cortvet é um potente anti-inflamatório hormonal à base de Dexametasona, indicado em todos os quadros clínicos que necessitam de uma resposta rápida.

Apyron é um diurético que contribui com a redução de edema. Como benefício adicional, exerce uma ação antisséptica sobre o trato urinário, combatendo eventuais infecções.

Mais informações sobre dose, apresentações, prescrições e modo de uso: vide bula.

Todo tratamento deve ser prescrito e acompanhado por um médico veterinário.

 


Leia Também

Diarreia infecciosa em bovinos, um problema comum na bovinocultura.
Febre do Leite e a importância dos minerais
A importância do controle e prevenção de Mastite Bovina
Verminose Equina e a importância da vermifugação periódica