Animal ativo

Suínos

Ivermectan

Ivermectan

Endectocida injetável clássico de largo espectro de ação, indicado no controle e tratamento dos principais parasitos internos e externos dos bovinos. Auxilia na prevenção da miíase cutânea (bicheira) em umbigos de bezerros recém-nascidos e feridas de castração. Auxilia no controle do carrapato de bovinos.

Indicação:

Bovinos
bovinos
Suínos
suinos
Ovinos
ovinos
Caprinos
caprinos

Bula

Ivermectan

FÓRMULA:


Cada 100 mL contém:

Ivermectina 1 g
Veículo.q.s.p 100 mL


INDICAÇÕES:


Ivermectan injetável a 1% é indicado no tratamento e controle de vermes redondos pulmonares e gastrintestinais, carrapatos, piolhos, bernes e sarnas de bovinos. Auxilia no controle da mosca-do-chifre e previne miíases (bicheiras) no umbigo de bezerros recém-nascidos e nas feridas de castração.
Pode ser usado em vacas prenhes e reprodutores.
Parasitas combatidos por  Ivermectan  injetável a 1%:

 Vermes redondos
 gastrintestinais

 Ostertagia spp
 (inclusive formas
 L4 ou hipobióticas)
 Haemonchus spp
 Trichostrongylus spp
 Cooperia spp
 Chabertia sp
 Bunostomum spp
 Oesophagostomum  spp
 Nematodirus spp
 Strongyloides spp
 Trichuris spp
 Ascaris sp
 Hyostrongylus sp
 Stephanurus sp

 Vermes pulmonares
 Dictyocaulus spp
 Carrapatos: 
 Rhipicephalus (Boophilus)  microplus 
 Miíases (bicheiras):
 (preventivo)
 Cochliomyia hominivorax              
 Hypoderma bovis
 Oestrus ovis
 Bernes: 
 Dermatobia hominis
 Piolhos sugadores:
 Linognathus spp 
 Haematopinus spp
 Solenoptes sp

 Piolhos  mastigadores
 Damalinia spp
 Ácaros da sarna: 
 Psoroptes sp 
 Sarcoptes sp
 Chorioptes sp

 Mosca-do-chifre:
 Haematobia irritans

 

POSOLOGIA E MODO DE USAR:


Aplicar por via subcutânea.
A dosagem recomendada para bovinos, ovinos e caprinos, é de 1 mL de Ivermectan injetável a 1% para cada 50 kg de peso corpóreo e para suínos é de 1 mL para cada 33 kg de peso corpóreo.

Tabela para Bovinos, Ovinos e Caprinos:

Peso (kg) 
até 50 kg        
de 51 a 100   
de 101 a 150 
de 151 a 200 
de 201 a 250 
de 251 a 300
 Dose (mL)
1 mL
2 mL
3 mL
4 mL
5 mL
6 mL
Peso (kg) 
de 301 a 350
de 351 a 400
de 401 a 450
de 451 a 500
de 501 a 550
de 551 a 600
  Dose (mL)
 7 mL
 8 mL
 9 mL
10 mL
11 mL
12 mL

Animais com mais de 600 kg, manter a mesma dosagem de 1 mL para cada 50 kg de peso corpóreo.
Nos bezerros recém-nascidos administrar  1 mL por animal (via  subcutânea) visando a prevenção do desenvolvimento de bicheiras, evitando a instalação da onfaloflebite por contaminações diversas.

Tabela para Suínos:

Peso (kg)
até 33 Kg
de 34 a 66
de 67 a 99
de 100  a 132
Dose (mL)
1 mL
2 mL
3 mL
4 mL
Peso (kg)
de 133 a 166
de 167 a 199
de 200 a 232
de 233 a 266
Dose (mL)
5 mL
6 mL
7 mL
8 mL

 

ATENÇÃO: OBEDECER AOS SEGUINTES PERÍODOS DE CARÊNCIA 
BOVINOS:
  • ABATE: O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO “35” DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO.
  • LEITE: ESTE PRODUTO NÃO DEVE SER APLICADO EM BOVINOS PRODUTORES DE LEITE PARA O CONSUMO HUMANO. 
OVINOS:
  • ABATE: O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO “28” DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO.
  • LEITE: ESTE PRODUTO NÃO DEVE SER APLICADO EM OVINOS PRODUTORES DE LEITE PARA O CONSUMO HUMANO.
CAPRINOS: 
  • ABATE: O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO “28” DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO.
  • LEITE: ESTE PRODUTO NÃO DEVE SER APLICADO EM CAPRINOS PRODUTORES DE LEITE PARA O CONSUMO HUMANO.
SUÍNOS: 
  • ABATE: O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO “18” DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO.


“A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO EM CONDIÇÕES DIFERENTES DAS INDICADAS NESTA BULA PODE CAUSAR A PRESENÇA DE  RESIDUOS ACIMA DOS LIMITES APROVADOS, TORNANDO O ALIMENTO DE ORIGEM ANIMAL IMPRÓPRIO PARA O CONSUMO."
 

APRESENTAÇÃO:


  • Caixa com 20 frascos de 50 mL.
  • Caixa com 12 frascos de 500 mL.

Conservar em local fresco e seco, ao abrigo da luz solar e fora do alcance das crianças e animais domésticos.
 

“Proibido o uso deste produto em bovinos de corte criados em regime de confinamentos,semi-confinamentos e em regime extensivo na fase de terminação.”
Venda sob prescrição do Médico Veterinário.

Responsável Técnica Médica Veterinária: Dra. Thaís Marino Silva Girio
CRMV/SP 17.469

Licenciado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:

sob o nº 7.226 em 22/02/2000.