Animal ativo

Caprinos

Ocitocina Forte UCB

Ocitocina Forte UCB

A Ocitocina Forte tem ação sobre a musculatura da glândula mamária e promove o aumento das contrações musculares dos alvéolos e canais galactóforos, favorecendo a descida do leite e auxiliando no tratamento e prevenção de mastite, por contribuir com maior fluxo e esgotamento total da glândula mamária, pela eliminação do leite residual.Também promove o aumento das contrações da musculatura uterina e está indicada nos casos clínicos de retenção de placenta e atonia (insuficiência contrátil) .

Indicação:

Bovinos
bovinos
Equinos
equinos
Suínos
suinos
Ovinos
ovinos
Caprinos
caprinos

Bula

Ocitocina Forte UCB

 

FÓRMULA:


Cada mL contém:

Ocitocina sintética 10 UI
Veículo q.s.p 1 mL


PROPRIEDADES:


A Ocitocina Sintética tem ação seletiva sobre a musculatura lisa do útero e das glândulas mamárias, promovendo um aumento das contrações musculares do útero no momento do parto, ajudando a expulsão da cria e da placenta, controlando a hemorragia. 

A Ocitocina Sintética tem a particularidade de estimular o útero, somente quando este se apresentar em estado de prenhez, ou em algum estado patológico (metrite), e sua atividade será restrita até 4 semanas antes do parto, durante e após o parto (Steinemann).

A ação da Ocitocina sobre as glândulas mamárias se faz através de um aumento das contrações musculares dos alvéolos e dos canais galactóforos, impulsionando o leite contido nos alvéolos para os canais galactóforos e deste para a cisterna aumentando o fluxo do leite, promovendo o esgotamento  total da glândula mamária.


INDICAÇÕES E MODO DE USAR:


1 - Insuficiência contrátil primária ou secundária da musculatura uterina durante o parto:

Aplicar por via subcutânea, se não houver contrações suficientes; após 20 minutos recomenda-se proceder uma nova aplicação em dosagem mais elevada, ou então uma aplicação por via  intravenosa na dosagem recomendada.

2 - Retenção de leite e como auxiliar no tratamento de mastite por acúmulo de leite após o parto:

Aplicar por via intramuscular e iniciar a ordenha 5 a 10 minutos após, de maneira lenta e gradual.

3 - Prolapsos uterinos (casos recentes):

Aplicação epidural (vacas e éguas) associado a anestésico para obter a contração do útero antes de sua  redução.

4 - Retenção de placenta, hemorragia pós-parto, atonia do útero:

Aplicação intramuscular, intravenosa ou epidural em vacas e éguas. Nos casos de retenção  tardia  (7-8 dias)  recomenda-se aplicação  intravenosa.

5 - Iminência de  febre puerperal:

 Espécie:

Subcutânea ou Intramuscular:

 Intravenosa Epidural
 Vacas e éguas  2-5 mL  1- 2,5 mL  1,5 - 3 mL
 Porcas  1-3 mL  0,5- 1,5 mL  
Ovelhas e Cabras 0,5 a 1 mL 0,25 - 0,75 mL  

 

OBSERVAÇÕES:


  • 1- A administração intravenosa deve ser lenta e o efeito se manifesta imediatamente e dura cerca de 10 minutos.
  • 2- A aplicação intramuscular ou subcutânea o efeito se manifesta 5 a 10 minutos após.
  • 3- Este produto não apresenta efeito acumulativo, portanto pode se repetir a dosagem sem qualquer risco.


APRESENTAÇÃO:


  • Caixa com 20 frascos de 5 mL.
  • Caixa com 12 frascos de 20 mL      
  • Caixa com 12 frascos de 50 mL. 
  • Caixa com 12 frascos de 100 mL.
  • Display contendo 38 frascos de 100 mL.                                                                                               

 

Venda sob prescrição do Médico Veterinário.

Manter a embalagem fechada em local fresco e seco, ao abrigo da luz solar e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Licenciado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:

sob o nº 0697 em 11/09/78

Resp. Téc. Méd. Vet.: Dra. Thaís Marino Silva Girio
CRMV/SP 17.469